Crônicas,  Estilo de vida,  Inspirações,  Por aí

Desacelerar.

Nove da manhã. Alongamento, espreguiçadeira, um mergulho, água quente, vento no rosto, praia deserta, só nós dois. Sorte. Agradecimento. Pensamento voa longe, sem fim… tão infinito quanto o horizonte desse mar. É preciso pouco. Desacelerar. Cinco cervejas pra mim. Água de coco pra ele.
Ceviche pra dois. Eu e ele. Ele, entediado, precisando de mais movimento. Eu, borboleta, voando longe sem precisar sair do lugar. Podia ficar ali na mesma posição mais vinte e quatro horas. A conta. Uma chuveirada. Rock e amor. Casinha, chocolate e minha companhia oposta preferida: Ele. Só ele.  — em Rio Da Barra – Trancoso/Ba.